Engenharia Social é um projeto ardiloso que têm em seus rabiscos forma e sofismas para enganar o eleitor (você) através de um método psicológico de manipulação. Ela é como uma sombra e está em todos os lugares embora você não perceba. O ramo mais ativo da política é a engenharia social e eles aplicam com maestria para induzir o povo a fazer o que eles querem e o que programam para você. Coletamos 10 técnicas do site, www.ahduvido.com.br, mais comum de manipulação da opinião pública usadas atualmente, para você ficar atento e não cair em tudo que eles falam ou apresentam.

1 -Estratégia da diversão: Elemento primordial do controle social, a estratégia da diversão consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes, como PECs, Reformas, projetos antissocial e os salários dos parlamentares decidido pelas elites políticas e econômicas, graças a um dilúvio constante de distração. Exemplo: Copa do mundo; olimpíadas; estardalhaço de notícias fúteis; da violência; e o dia a dia da distração e do engano da televisão. Exemplo: na véspera do natal de 2009, Lula da Silva assinou o pernicioso decreto nº 7073 de sua autoria que dispõe sobre o PNDH3. Dia 24 de julho de 2014, em plena copa, venceu o prazo para denúncia da OIT169, o povo distraído, os poderes deixou passar.
“Manter a atenção do público distraído, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativados por assuntos sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar, voltado para a manjedoura com outros animais” do livro. “Armas silenciosas para guerras tranquilas”.

2 -Criar problemas, depois oferecer solução: Primeiro cria-se um problema destinado a despertar reação afim de que seja o próprio público que exija medidas para saná-lo, exemplo: Deixar crescer a violência para que o próprio público exija leis mais rígida em detrimento da liberdade.

3- Estratégia do esbatimento: Para impor uma medida inaceitável, basta aplica-la progressivamente de forma gradual ao longo de 10 anos. Exemplo: Para impor o regime comunista no Brasil, eles (PT) estão impondo condições inaceitável e humilhante ao povo, de uma forma gradual, amena, até o povo se acostumar com a ideia. No entanto, se fosse bom, seria aceito espontaneamente.

4 -Estratégia do diferimento: Outro modo de fazer aceitar uma decisão impopular é apresenta-la como, “dolorosa mas necessária” obtendo o acordo do público no presente para uma aplicação no futuro: Exemplo, Reforma da Previdência.

5 -Dirigir-se ao público como se fossem crianças pequenas: A maior parte das publicidades destinada ao grande público, utilizam discurso, argumentos, e personagens com um tom particularmente infantilizado para debilitar o expectador como se fosse uma criança pequena ou débil mental.

6 -Apelar ante ao emocional do que à reflexão: Apelar ao emocional é uma técnica clássica para curto-circuitar a análise racional e, portanto, o sentido crítico do indivíduo. Além disso, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para ali implantar ideias, desejos, medos, e comportamentos. O emocional rompe suas defesas. Outro ponto fraco que eles não atacam no ser humano são suas paixões: Exemplo, futebol, carnaval etc. que além de emocional, são circos para distrair a opinião pública.

7 -Manter o público na ignorância e no disparate: Atuar de modo que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e a sua escravidão.
“A qualidade da educação dada às classes inferiores de ser da espécie mais pobre, de tal modo que o fosso da ignorância que isola as classes inferiores das classes superiores seja e permaneça incompreensível pelas classes inferiores”. (do livro) “Armas silenciosas para guerras tranquilas”.

8 -Encorajar o público a comprazer-se na mediocridade: Encorajar o público a considerar aceito o fato de ser idiota, vulgar e inculto. Veja que é comum na cultura de vários países, o comportamento de deboche frente à pessoa que usa a linguagem culta fora de ocasiões formais. O povo usa palavrão por isso é considerado por eles inculto e devem ser encorajado dessa forma.

9- Substituir a revolta pela culpabilidade: Fazer crer ao indivíduo que ele é o único responsável pela sua infelicidade, devido à insuficiência da sua inteligência, das suas capacidades ou dos seus esforços. Assim, ao invés de se revoltar contra o sistema, o indivíduo se auto desvaloriza e auto se culpabiliza, o que engendra um estado depressivo que tem como um dos efeitos a inibição da ação. E sem ação, não há revolução…

10 -Conhecer os indivíduos melhor do que eles conhecem a si próprios: No decurso dos últimos 50 anos, os progressos da ciência cavaram um fosso crescente entre os conhecimentos do público e aqueles possuídos e utilizados pelas elites dominantes. O sistema passou a conhecer melhor o indivíduo médio do que este se conhece a si mesmo. Desta forma significa que o sistema tenha um maior controle sobre os indivíduos do que o controle do próprio sistema. O sistema torna-se sem controle a partir de que a estratégia da engenharia social seja conhecida pela maioria da população.

ENGENHARIA SOCIAL DE POLÍTICOS SUJOS.

A ENGENHARIA SOCIAL DO SISTEMA POLÍTICO ATUAL IGNORA VOCÊ!
NÃO SEJA “IDIOTAS UTEIS” DE POLÍTICOS

BRADE BEM ALTO: INTERVENÇÃO MILITAR NO BRASIL JÁ

Fontes e pesquisas –Vídeos:
Alienação em massa/Engenharia social –

As novelas e a Engenharia Social

Engenharia Social: entenda como querem destruir a sua

10 técnicas comuns usadas para manipular a opinião

 

UNIÃO NACIONAL EM DEFESA DA PÁTRIA E FAMÍLIA