Tudo começou lá trás em 1840 quando os ingleses ocuparam a vila de Pirara, região setentrional do Brasil localizada a nordeste do Estado de Roraima entre a margem esquerda do rio Rupununi e o rio Tucutu. Esta área pertencente ao Brasil foi demandada pela Inglaterra em litígio com o Brasil, sendo arbitrado o conflito pelo rei da Itália Vittório Emmanuele em 1904. Na ocasião era chanceler do Brasil, Joaquim Nabuco e fez um grande trabalho nesta causa conseguindo dividir o quinhão demandado pela Inglaterra, mas ainda fomos roubados em 19.630 km°, ou 400 mil hectares. Assim começou o nosso romance com a Inglaterra.

Em abril de 1991, o herdeiro do trono Britânico, príncipe Phillip e seu filho Charles, fizeram uma visita ao Brasil e promoveram um seminário de dois dias a bordo do iate Real Britânia, ancorado sintomaticamente no rio Amazonas. Estavam presentes nessa reunião regada a vinho francês, David Triper, ministro do meio ambiente da Inglaterra, William Reilly, diretor da agência de proteção ambiental dos EUA, Carlos Ripa di Meana, coordenador do meio ambiente da Comunidade europeia, Robert Horton, presidente da British Petroleum, e dois brasileiros da alta cúpula política, o Presidente do Brasil, Fernando Collor de Mello e José Litzenberger, ministro do meio ambiente. Agora ocorre uma dúvida no coração dos brasileiros: Porque somente dois brasileiros faziam parte desse encontro? Hoje com as comprovações da Lava Jato todo mundo sabe que Collor de Mello é o maior corrupto da face da terra e seu comparsa; fica assim respondida a interrogação.
Três meses depois desse prazeroso encontro, Collor de Mello, criou a gigantesca reserva Ianomani na Cabeça do Cachorro (RR) e colocou lá índios falsos pintados vindo de outras regiões que levaram o nome de Ianomani, que é uma etnia inventada por antropólogos da Survival Internacional, ong do próprio Príncipe. Na época foi demarcada com 5 milhões de hectares, mas hoje com as novas demarcações da OIT169, já está com 10.6 milhões de hectares, ocupada por 6.000 índios falsos. O custo da demarcação da área foi pago pelo grupo do G7 (os sete países mais ricos).

Para quem não sabia esta região da Reserva Ianomani na Cabeça do Cachorro (RR) demarcada pelo príncipe Philip é a região mais rica do planeta em minérios, calculado em trilhões de dólares. As águas dos lagos que compõem esta região tem a cor do Nióbio, além do ouro e urânio.

 

Outro causo: Quando esquenta a disputa em torno das reservas indígenas de Roraima particularmente a Reserva Raposa Serra do Sol, o príncipe Charles vem visitar a Guiana Inglesa e fica por perto. Foi em 2000, quando ocorreram as primeiras reações contra as demarcações contínuas da Reserva Raposa do Sol, justamente o Príncipe Charles veio participar pessoalmente da inauguração da reserva ambiental Iwookrom (território roubado do Brasil, caso Pirara). Nesta ocasião, através de sua ong, Survival Internacional, influenciou os traidores da pátria e os chefes indígenas sobre a dimensão da área da Raposa do Sol para onde deveriam ficar os marcos divisórios, ocupando hoje uma área contínua de 1.700 milhões de hectares onde estão as maiores minas de diamante e Nióbio.

 

O ambiente na Raposa Serra do Sol, continuou tensa e sob pressão internacional, até a efetivação da OIT169, a partir de então, os indígenas e a polícia federal, acabaram por expulsar 300 famílias de plantadores de arroz, além de outros proprietários que já estavam na região há mais de 100 anos com títulos legais de suas terras. Esta catástrofe social foi ocasionada pelo desrespeito ao art. 5° da Constituição Federal, que mesmo sendo uma cláusula pétrea, que da garantia à propriedade, foi pisada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), qualificando a convenção OIT169, acima da nossa Constituição.

Hoje, as famílias expulsas da Reserva ocupam uma área de invasão na periferia de Boa Vista formando uma grande favela e as terras demarcadas encontram-se abandonadas e improdutivas em virtude pelas quais, o índio não trabalha, mas vivem à custa do governo. A invasão da Amazônia está sendo levada a cabo por traidores da Pátria e por Ongs internacionais, que instigam o ódio de classe entre o índio e o branco, ocasionando o confinamento do mesmo na selva, e sua presença impede o aproveitamento do subsolo cuja riqueza fica automaticamente preservada para futura espoliação pelas nações mais ricas do mundo, G7. Tanto a Reserva Ianomani, como a Reserva Raposa do Sol, estão sob ad-judicia da ONU. Isto quer dizer que a ONU tem procuração para administrar a área e não permitir a extração do minério do subsolo. (Quem deu a procuração?)

A OIT169, (Organização Internacional do trabalho), foi regulamentada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado pelo decreto n° 143/2002 do Presidente Fernando Henrique Cardoso e ratificada pelo decreto 5051 de 19 de abril de 2004 de autoria do Presidente Luis Inácio Lula da Silva. Esta Convenção ficou 10 anos engavetados na Presidência da República para ser denunciada ou aceita. Venceu o prazo e ninguém denunciou: nem a presidente Dilma Rousseff, nem o STF (Supremo Tribunal Federal), nem o Senado e nem pelo Ministério da Defesa. Então foi aprovada por decurso de prazo. Pergunta-se: Onde está o patriotismo dos nossos governantes? Eles não ganham para cuidar das coisas da Pátria?As normas regulamentares da OIT169 prevê a transformação das reservas indígenas em nação indígenas e concede aos índios autonomia sobre seu território, sobre seu subsolo e em seu meio ambiente.

 

A partir de 2014, começou a vigorar as normas da convenção e assim estamos vendo o esfacelamento do território brasileiro em 216 nações independentes. Foi uma trama, um conluio entre os traidores da Pátria e os interesses estrangeiros, já que circula boatos que o custo do cachê para aprovar o projeto no congresso foi de R$140 milhões de Reais. No Congresso tem um ditado que diz: “Nada se cria, tudo se negocia”. A Polícia Federal precisa investigar este caso. Outros países não aceitaram a convenção OIT169, e a divisão do Brasil foram claros interesses estrangeiros; foi um crime hediondo; crime de lesa pátria sem precedente na história do Brasil.

Algumas normas da OIT169: Letra E- “É preciso que eles vejam o homem branco como um inimigo permanente, não só dele, mas do sistema ecológico da Amazônia”.
Letra H- É preciso insistir no conceito de etnia para que desse modo seja despertado o instinto natural de segregação e de orgulho de pertencer a uma nobreza étnica e da consciência de ser melhor do que o homem branco.

 

Letra K- É preciso defender o índio dos órgãos públicos ou privados no Brasil (Serviço de Proteção ao Índio)
Artigo 17 – Sempre que for considerada sua capacidade para alienarem suas terras ou transmitirem de outra forma seus direitos…
Considerando o artigo 17, eles poderão vender suas terras a qualquer país e assim nossos filhos e netos, terão que conviver com outros povos dentro do Brasil. Por exemplo: Os islamitas poderão comprar uma nação indígena e se cravar dentro do nosso território. Desta forma o Brasil vai virar uma África.

 

Ao considerar a OIT169, vemos que é uma filha incestuosa das delícias palacianas gerada na intimidade da noite, ou melhor, na calada da noite, entre seus corruptos amantes em voluptuosas luxúrias; solta em orgias e mergulhada nos tragos embriagantes, do escocês whisky de marca Libra Esterlina. Racista, segregacionista e falsa. Lasciva e subversiva, da para os interesses espúrios de fora e para seus gigolôs nacionais e desavergonhadamente trai a nossa Soberania.
Os desatinos desse crime contra a Soberania Nacional já se faz sentir suas consequências: Para cruzar a rodovia que passa dentro das terras indígenas do Xingu, os Índios trancam a rodovia e cobram pedágio no valor de R$ 100,00.
O Instituto ISA, já tem um parecer jurídico apoiado por outro organismo internacional chamado CI-Conservação Internacional sobre a titularidade de crédito de carbono gerado por atividade florestal em terras indígenas no Brasil. Pelo visto, em breve essas nações vão taxar o governo brasileiro pelo carbono gerado por atividade florestal e assim iremos pagar pelo ar que respiramos. Parece absurdo, mas é a realidade.
O governo de Roraima esta fora do Sistema Interligado Nacional de Energia Elétrica e importa energia da Venezuela, porque os índios waimiri-atroari, não permite a passagem dos cabos elétricos que vem de Manaus passar dentro da faixa de domínio da BR174 (Manaus – Boa Vista) que cruza dentro de suas terras. Também os atroaris fecham esta rodovia a noite impedindo as pessoas do direito de ir e vir.

 

Agora, na atual circunstância e diante desta traição à nossa Soberania, só reta uma solução: O Exercito Brasileiro. Através de uma intervenção militar no Brasil, o Exercito fará valer a Constituição Federal que descreve o seguinte: “as terras indígenas são propriedades da união com usufruto dos povos indígenas”. O exercito pode interpelar a ONU e contestar a OIT169 tempestivamente porque ela fere a nossa Constituição, atenta contra a nossa Soberania, é imoral, racista, segregacionista e subversiva. A Constituição de um país está acima de qualquer convenção internacional. Considerando ainda que os índios são brasileiros natos, para tanto somos todos iguais perante a lei.

 

O Brasil é uma federação constituída pela união indissolúvel e não tem assegurado pela Constituição o direito de se separar e tornar-se independente.
A Reserva Raposa do Sol é uma região exuberante, de terras férteis e ricas em minérios e hoje leva o nome de Fronteira do Abandono, por isso é dever do Exercito brasileiro resistir a investida internacional e a influência da traidora Marina Silva que é uma comuna-ambientalista da ONU e dos interesses escusos de potências estrangeiras e de integrantes do Diálogo Interamericano.
Portanto, para que se mantenha a unidade nacional que está sendo destruída por fora com a invasão da nossa fabulosa Amazônia e por dentro com a imoralidade dos nossos governantes, será necessária uma mobilização do nosso povo para erguerem outra vez no país, novas instituições, já que as atuais se apodreceram e criar poderes públicos sob critérios fundamentalmente diverso dos subjacentes a atual estrutura de poder.
Senhores Generais, agora e na atual circunstância a reconquista da Amazônia e da moralidade, depende exclusivamente da reconquista de Brasília que o povo brasileiro coloca sobre vossos ombros e sobre vossas consciências.

 

A OIT 169 FOI UMA TRAIÇÃO À PÁTRIA. A AMAZÔNIA É NOSSA

CONFIAMOS NAS FORÇAS ARMADAS. GARANTIAS DA CONSTITUIÇÃO JÁ

INTERVENÇÃO MILITAR NO BRASIL AGORA
Fontes.

Vídeos pesquisados:

OIT169 perigo

A farsa Indigenista no Brasil

Plano para tirar a Amazônia do Brasil – Soberania Nacional

Já Perdemos A Amazônia! O Povo Que não Aprende…

 

AMAZÔNIA : O QUE É IMPORTANTE SABER !

Presidente LULA manda invadir Roraima secretamente

 

 

Funai cadastra falsos índios para invadir terras

UNIÃO NACIONAL EM DEFESA DA PÁTRIA E FAMÍLIA

 


LIBERDADE DE EXPRESSÃO E INTERAÇÃO ENTRE OS BRASILEIROS

Esta é uma página de interação entre os brasileiros residentes aqui no Brasil e no exterior e podem enviar informações em textos, fotos, vídeos, mensagens, interagindo sempre com a nossa causa que é o intervencionismo. Use nosso e-mail para contatar conosco.  As informações enviadas ficarão por tempo determinado na página, dependendo da quantidade recebida e do espaço disponível.

SOME-SE A NÓS. SEREMOS UMA GRANDE FAMÍLIA.